Eclipse Lunar Julho 2020

Breves notas sobre o actual eclipse lunar:

Após o Eclipse Lunar de 5 de Junho a 15º do eixo Gémeos/Sagitário (preparação para a mudança, adaptabilidade e conhecimento) e do Eclipse do Sol a 0º de Câncer no dia 21 de Junho (nascimento de um novo ciclo ao nível do sentir), temos hoje mais um Eclipse Lunar a 13º do Eixo Câncer/Capricórnio.


Nesta Lua-Cheia a revelação do propósito do Eclipse Solar torna-se cada vez mais evidente, (cada um confiar no seu sentir e na sua ligação universal, criando assim a sua própria imunidade, Lua em Câncer e Neptuno em Peixes) a oposição entre o pulsar das necessidades pessoais, baseadas na confiança do eu em que cada um sabe de si, criando as suas próprias defesas e os seus anti-corpos, confrontadas com as exigências rígidas das normas sociais, que pretendem zelar, proteger, mas que acabam muitas vezes por condicionar, desinformar e limitar. Temos por um lado estruturas sociais pesadas que veiculam medo, pressão e algum totalitarismo e por outro, atitudes infantis e inconsequentes como é o caso de certos comportamentos nas Américas e um pouco por todo o mundo (o infantilismo do Câncer, sem se preocupar minimamente com os outros, ou o fechamento em normas restritas e autoritárias, porque se tem de respeitar a lei, à custa do indivíduo (Capricórnio).

Assim todos estes contrastes estão assinalados neste eclipse lunar com o Sol e Mercúrio em Câncer em oposição à Lua em Capricórnio no grau 13, o que indica transformações profundas na forma como nos relacionamos com este binómio. Esta oposição dos luminares está configurada por uma Cruz em T cardinal com saída em Marte e Quíron em Carneiro, o que acentua a necessidade de liberdade e de movimento, em que cada um tem de se experimentar a si próprio para encontrar o seu herói interno. A luta passa pelo confronto com as feridas do passado, o eclipse lunar vincula-se ao Nó Sul e traz à consciência os aspectos e os valores em que acreditamos e os que deixámos de acreditar (Nó lunar sul em sagitário, Júpiter conjunto a Plutão) … a cura, passa pela integração da cruz cardinal com saída em Balança, o equilíbrio dos opostos, sem esquecer que a conjunção do Mercúrio Novo neste ciclo indica uma nova forma de pensar e de sentir, que, embora retrógrado, já contém em si o novo gérmen, para poder aliar a comunicação aérea e mental do Gémeos com a emoção e o sentir que jaz latente em cada um de nós.

Se em Caranguejo nasce o nacionalismo, o rio e o sino da minha aldeia, a bandeira e o hino, o eu e a família, nasce também nesta constelação a colmeia, o enxame que somos todos nós, que fazemos parte deste planeta, deste sistema solar, da galáxia… Assim se compreende a regência esotérica de Neptuno no signo de Câncer!

Luis Resina



Secções