Equinócio do ponto vernal de Balança

Equinócio 22 Setembro 20h20


Nos Equinócios estamos numa das fases do ano onde o Sol cruza o Equador nos seus pontos Este e Oeste estabelecendo o ponto de equilíbrio entre os dias e as noites. No caso do Hemisfério Norte as noites vão progressivamente aumentando a partir do Equinócio de Outono, dando lugar e primazia às questões sociais e coletivas, o dia simboliza o individual e a noite o coletivo.

Nalgumas culturas tradicionais celebrava-se o Equinócio de Outono como o começo do ano civil, tal foi o caso, na antiga tradição Hebraica e nalguns reinos do antigo Egipto.

Hoje vamos olhar o mapa de entrada do Sol no ponto vernal da Balança e ver alguns aspetos salientes deste começo de estação.


Sol a 0º da Balança em trígono e sextil aos Nós Lunares – consciencializar as dinâmicas da comunicação e das parcerias e procurar o sentido que está por detrás das aparências.

Cruz em T Cardinal - Lua em Carneiro em oposição a Mercúrio em Balança e ambos em quadratura a Plutão em Capricórnio – muita ação e impulsividade, divisão de opiniões e pontos de vistas contraditórios, manipulação verbal e emocional, imposição de razões ou factos com base no despotismo e na irracionalidade. O aspeto sombra desta configuração manifesta-se em autoritarismo e em atitudes impositoras. O aspeto luz implica o preenchimento do braço da Cruz em falta - a energia do Caranguejo, elemento água - completando a dinâmica dos quatro elementos, assim teríamos a ação direta e espontânea, a ação sentida, a ação objetiva e a ação prática com o equilíbrio dinâmico dos 4 elementos na Cruz Cardinal.

Plutão elevado no mapa da Capital indica que os sinais de prepotência podem manifestar-se com mais enfâse nos órgãos ou nos representantes do poder social.

A Lua no ascendente em Carneiro é bastante reativa do ponto de vista emocional, e a tendência é para dizermos e exprimirmos o que nos vai pela alma; a oposição da Lua a Mercúrio em Balança é contraditória, porque nem sempre aquilo que se diz é aquilo que sentimos. O eixo ascendente/descendente é regido por Marte e Vénus que estão em receção mútua, Vénus em Escorpião (regida por Marte) pede transformações e profundidade nos relacionamentos e Marte em Balança (regida por Vénus) implica sermos movidos e agitados pelo outro, por um lado quero transformar com Vénus em Escorpião e ser transformado pelo outro com Marte em Balança, ou seja, uma ótima oportunidade para se equilibrar o par de opostos símbolo do eletromagnetismo entre os sexos.

Sol/Marte e Vénus em aspetos tensos com Úrano dizem-nos que os relacionamentos estão ao rubro, e que é necessário muita verdade na comunicação e muita liberdade interna ao nível dos valores pessoais para não cairmos na tentação de querermos manipular o outro à força.

A fase de relação entre o Sol e a Lua logo após a Lua Cheia é a fase 8, o que indica a necessidade de se largar o que já não interessa e não nos preenche, isso implica transformar e deixar para trás águas passadas com vista a abrir portas para o futuro.

O trabalho e o desenvolvimento social continua a estar focado na casa 11, a das associações e dos grupos, temos aqui presentes os planetas sociais Júpiter e Saturno em Aquário. Propósito construtivo destas posições - em cooperação e em sintonia com a ética universal seremos portadores de novas ideias fortalecendo o espírito de união e de solidariedade com os demais.

Neptuno em Peixes na 12, continuará com o seu processo de limpeza das águas passadas que já não movem moinhos, todos teremos de sentir e compreender um pouco mais além para continuarmos a perscrutar a alma das coisas.


Período de grandes agitações e ensinamentos numa fase crítica e crucial da história humana.

L.R 22-09-21

https://www.facebook.com/luisresinaastrologia/?ref=pages_you_manage









Secções