Lunações de Abril

Breves Notas:

Lua Cheia 16-4-22 às 18h54 TMG, Lisboa - Eixo Carneiro/Balança, grau 26

Sol a pôr-se em Áries, Lua a nascer em Libra formando um T Square com Plutão na sua culminação inferior.

A expressão mais primitiva do belicismo marciano é objetivada e espelhada pela Lua em Balança, na necessidade de encontrarmos o equilíbrio das polaridades através de uma visão que englobe os dois lados da questão, os dois pratos da Balança. A consciência leva à integração dos opostos, esta apela a uma aceitação de alianças desde que a autonomia e a liberdade individual dos seres ou estados estejam assegurados e aceites por ambas as partes. A quadratura a Plutão em Capricórnio extrema a posições de controlo expressas no poder social, coletivo ou pessoal, ao mesmo tempo esta energia apela a algo mais essencial, fundamental ou nuclear! No seu aspeto de sombra o conflito está a espelhar-se na guerra, na ameaça do nuclear, na precaridade da vida, na destruição da matéria e da natureza. No seu aspeto de Luz, esta energia leva-nos a mergulhar no âmago das coisas, daquilo que é realmente nuclear: a vida, o sentir, a paz, a sustentabilidade, a preservação da natureza e das espécies… e para que isso aconteça, é mesmo nuclear a curto prazo o desarmamento global, o acabar com a fome e os níveis de pobreza injustificados, alargar a distribuição dos recursos, promover rapidamente um desenvolvimento tecnológico ao serviço da humanidade, transmutar completamente os mercados financeiros e coloca-los ao serviço das comunidades, promover a cultura e a relação natural e sadia com a Natureza. Manter tudo o que está é perpetuar a guerra, a divisão, o desequilíbrio energético, as lutas pelo poder, com o risco de tornarmos a vida neste planeta insustentável.

A 1ª Lua Cheia do ano biológico, a Lua Cheia do Cristo pede um alinhamento com a Vontade do Pai (energia do 1º Raio, da Vontade e do Poder) de forma a sermos canais de transformação e de implementação de uma nova energia à face do planeta. Esse aspeto envolve a vontade de mudar, de trazer para o mundo novas ideias e conceitos que levem à construção de outros hábitos e outras formas de vida. A Páscoa, o Cordeiro de Deus, é o amansar da natureza inferior, a fera dentro de nós, para que a energia vinda do alto se manifeste através dos corpos energéticos superiores em forma de ideias, intuições e insights. Nesse plano poderemos comungar com todos os filhos de Deus, a sagrada eucaristia, "quando mais do que um se reunir em meu nome eu estarei convosco e o espírito santo se manifestará em vós". Que cada um consiga carregar e integrar a sua cruz nesta quadra, a Cruz presente é a dos signos Cardinais e o outro lado da cruz em falta o Caranguejo, deverá ser preenchido pela ativação do elemento água, o sentir.

O impulso do fogo iniciado na Lua Nova de 1 de Abril a 11º de Carneiro, está agora ao rubro seja na sua manifestação inferior e superior, a colheita depende sempre da semente, e os regentes esotéricos da atual lunação (Mercúrio e Úrano) estão em conjunção no signo de Touro assegurando o caminho para que as ideias germinadas em Áries tenham solo e corpo nos diversos planos existenciais.

Para concluir este texto que já vai longo, queria sublinhar que o Stellium que encontramos atualmente no signo de Peixes evoca o sentir coletivo de um novo Humanismo, de uma outra solidariedade e de uma outra partilha entre os seres, uma direção que sai deste mundo dividido rumo à Unidade. Esperamos que esta chama se vá espalhando progressivamente ao redor do Planeta...




Uma Santa Páscoa a todos e votos de renascimento espiritual Luís Resina 15-4-22

Secções